RESGATANDO O INFANTIL.

O verão de Kikujiro (Kikujirô no natsu) – 1999.
Dirigido por: Takeshi Kitano.
Duração: 121 minutos.

El verano de kikujiro

Este é outro filme que consegui uma cópia e deixei guardado muito tempo até não lembrar mais do que se tratava o filme, isso tem se tornado recorrente por aqui. “O verão de Kikujiro” é um filme de aventura com um menino que está de férias escolares e gostaria de visitar sua mãe em outra cidade, mas sua avó, com quem mora, não pode leva-lo, até que o namorado de uma comerciante amiga da avó fica com a tarefa de levar o Menino até sua mãe.

kikujiro2O Menino (sabemos que seu nome é Kikujiro, mas todos no filme o chamam apenas por Menino), entediado com suas férias, porque seus amigos foram viajar e ele não tem muito que fazer resolve ir visitar sua mãe que vive numa cidade do interior, o Menino mora em Tóquio, o Menino não consegue viajar/fugir e é surpreendido por uma amiga da avó que o leva de volta para a avó, depois de muita confusão o namorado da amiga da avó fica a cargo de levar o menino até a casa da mãe. Um Senhor vagabundo (este é chamado de Senhor até o final do filme, quando ficamos sabendo o nome dele), o Senhor então pega o Menino para a grande viagem, mas antes disso, muitas coisas vão acontecer, o Menino vai com o Senhor em um lugar de apostas, acaba numa praça com um pedófilo, em um hotel de luxo, se perde por estradas, até que enfim chegam a casa da mãe.ete-de-kikujiro-1999-02-g

É no caminho do Menino que acontecem várias coisas bizarras ou fora do comum, o Senhor é totalmente irresponsável e briguento e o Menino só quer visitar a mãe dele, tem momentos muito engraçados dos dois no hotel, deles tentando conseguir uma carona, tem vários personagens neste caminho que são muito peculiares, como um casal que fica com eles por um instante e parecem ser atores ou trabalham em algum circo ou teatro, um poeta que vive viajando em sua pequena caminhonete cheia de livros, encontram também dois motoqueiros que não parecem nada com o estereótipo dos motoqueiros durões, muito pelo contrário, parecem dois nerds otários que usam do visual para ter um certo ar de “maldade”. Eles passam por lugares totalmente comuns que se tornam estranhos, como um ponto de ônibus que não passa nenhum ônibus, uma festa tradicional japonesa onde o Senhor arruma uma confusão com as pessoas da comunidade, e muitas outras coisas.

Quando eles encontram a casa da mãe do Menino, não é nada como eles esperavam encontrar, então a viagem deveria acabar ali, mas o Senhor vendo a tristeza do Menino, antes de leva-lo novamente para sua casa em Tóquio resolve dar umas férias divertidas ete-de-kikujiro-1999-13-gpara o Menino. Forma-se um grupo, composto pelo Menino, o Senhor, o Poeta e os dois motoqueiros, este grupo fica acampado na praia. Para alegrar o Menino, este grupo começa a fazer diversas brincadeiras para distrair e alegrar o Menino, eles contam histórias de horror ao cair da noite, brincam de esconde-esconde, de brincadeiras com fantasias e outras brincadeiras típicas japonesas, tudo muito lúdico, com muita fantasia, algo bem infantil mesmo, ao mesmo tempo em que aquilo alegra o Menino, as outras pessoas parecem se divertir também, trazendo de volta o lado infantil que há dentro deles. Mas, todas as férias têm um fim e o Menino e o Senhor com carona do poeta voltam para Tóquio.

“O Verão de Kikujiro” é um filme fantástico, uma aventura para crianças e adultos, é de certa forma uma mistura de filmes de aventura, típico dos anos 80 e 90 com uma mistura de pessimismo típico de Takeshi Kitano que fez algo parecido no filme “Aquiles e a Tartaruga”, porém em “O Verão de Kikujiro” o filme é mais otimista e feliz. Gosto muito do filme também por causa dos personagens, personagens estranhos em situações que são bizarras, mas que podem muito bem acontecer com as pessoas no dia-a-dia, não é fácil criar esta naturalidade no cinema com o bizarro, porque tudo aquilo que foge do bem comum parece falso e inclusive acabam sendo chamadas de bizarro, estranho, falso, etc. Os personagens principais são muito bem construídos psicologicamente, o Senhor, é um homem de meia idade que parece não ter tido muito sucesso na vida, é viciado em jogos, em bebidas, vive às custas de uma mulher, vive arrumando confusão, tudo isso colabora para sua personalidade agressiva Kikujiro1e ao mesmo tempo ele tem um lado de compaixão, de querer fazer o bem, mesmo que do seu jeito atrapalhado, há momentos que ele parece muito mais infantil que o próprio Menino, em alguns momentos do filme o Menino cuida do Senhor e os dois se cuidam e tentam viver o que há de melhor naquela viagem, são uma bela companhia um para o outro, são pessoas diferentes e complementares na jornada que estão vivendo. Também os personagens secundários dão muita vida para a construção dos personagens principais, tudo o que acontece no filme ajuda além de contar a estória, ajuda a construir os personagens principais.

A parte técnica do filme é muito boa, não há algo mal feito, parece um cinema milimétrico, algo japonês mesmo, se levarmos em consideração o estereótipo de que o japonês é estudioso e metódico, no entanto, sem esquecer que eles também tem uma veia bizarra e muitas vezes extremistas, como no caso de filmes violentos, mas aqui a bizarrice fica por conta dos personagens e situações, não há extremismos. Este é o tipo de filme que além de ser um ótimo entretenimento, nos faz conhecer um pouco do modo de vida de um povo muito diferente do nosso, quekikujirocd1avi003422213lh1 são os japoneses, que tem costumes às vezes muito diferentes, como as crianças fazerem as coisas sozinhas desde pequenas, ir para a escola sem acompanhantes, comer, ajudar a arrumar a casa e isso faz com que elas, de certa forma, mesmo sem saber o que fazer quando estão numa situação nova, tenham ao menos certa independência geográfica, sabem com maior facilidade como ir para um lugar e voltar sem se perder. É o que me passou este e outros filmes que mostram como é o dia-a-dia dos japoneses.

“O verão de Kikujiro” é um filme divertido recomendado para todas as idades e tipos de pessoas, fantasiar junto com o cinema sempre é prazeroso e divertido e este filme proporciona risadas espontâneas e pode até trazer lembranças da infância e aquele sentimento de divertimento puro, inocente, de leveza interior e brilho nos olhos.

 

TRAILER:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s