A beleza do ruim

Plano 9 do Espaço Sideral (Plan 9 from outer space) – 1959.
Dirigido por: Ed Wood.
Duração: 79 minutos.

Plan_9_Alternative_posterPlano 9 do Espaço Sideral é um daqueles filmes que você gostaria muito de assistir, mas, por um motivo ou outro, você vai deixando para depois e acaba assistindo muito tempo depois, como um grande apreciador de filmes B e filmes bizarros e por Ed Wood ser considerado o pior cineasta de todos os tempos e o “Plano 9” ser considerado o pior filme de todos os tempos, estava muito curioso para assisti-lo, mas só consegui uma cópia recentemente. Há muitas informações sobre o filme na internet, mesmo assim resolvi escrever sobre esta obra linda do cinema mundial, confesso que antes de assistir o “Plano 9” eu só tinha visto o filme que o Tim Burton tinha feito sobre o extraordinário, quase personagem da ficção, Ed Wood, e também havia assistindo o filme Glen ou Glenda.

Resumidamente o filme “Plano 9” é sobre um grupo de alienígenas que invade a terra para alertar ou destruir os seres humanos, porque eles estão usando o conhecimento, olha o Et Bilú aí, para acabar plan9_torcom a própria raça humana, assim, eles ressuscitam mortos para ajudar a capturar os humanos, isso é mais ou menos uma leitura de um roteiro muito confuso e ruim, e coisa ruim é o que não falta no filme, o elenco é péssimo, a direção é horrível, a continuação praticamente não existe, os efeitos especiais estão mais para defeitos especiais, praticamente tudo no filme é mau feito, as histórias e curiosidades são muito mais interessantes que o filme em si, o DVD que arrumei tem um documentário muito interessante sobre o filme, chamado: “Discos Voadores sobre Hollywood, onde peguei quase todas as histórias sobre o filme.

Uma das coisas interessantes do filme é logo na primeira cena onde há as previsões de Criswell que introduz a história, como se fosse um apresentador de televisão, a verdade é que Crisell tinha realmente um programa na televisão e era um farsante que fazia previsões e tinha muita audiência, ele também encerra o filme, o interessante desta apresentação, é a junção de linguagens, da tv e do cinema, mostrando que Ed Wood experimentava outras linguagens.16970_plan-9-iz-otkrytogo-kosmosa_or_plan-9-from-outer_1600x1200_(www.GdeFon.ru)

Os extra-terrestres são exatamente igual aos seres humanos, é claro que Ed Wood acabou fazendo assim por falta de recursos financeiros para criar uma maquiagem ou fantasia, então os ETS são uns humanos arrogantes, mal vestidos, que mais parecem integrantes de uma seita secreta e com a inteligência superior deles, ou saído de uma paródia de Star Trek. A arma deles, é um revolver elétrico que consegue reviver e controlar os mortos, uma idéia tão estúpida que passa por genial, a arma é tão desenvolvida que tem uma hora que ela falha e quase que o feitiço vira-se contra o feiticeiro e um Zumbi quase os mata, mesmo assim, é legal a idéia de que o ser humano tem muito medo das pessoas mortas, me faz questionar o porque a existência dos cemitérios nos dias atuais, enfim, acho que aí é ver muita coisa onde há pouco.

Os efeitos de discos voadores são um horror à parte, em alguns momentos conseguimos enxergar as linhas que os seguram, muitas pessoas diziam que eram calotas de carro, mas na verdade, -Plan 9- UFO 2Ed Wood comprou alguns discos voadores em uma loja de brinquedos, os discos voadores foram filmados com algumas imagens ao fundo, mas é até divertido ver como ele resolveu a questão dos discos voadores, há no filme algumas imagens de aviões e máquinas de guerra que acredito eu que tenham sido usadas de trechos de outros filmes, tem uma história que Ed Wood costumava pegar restos de película de outros filmes e usava em seus filmes.

Para conseguir que o filme fosse financiado Ed Wood teve que ser batizado numa Igreja Batista para conseguir um pouco de dinheiro para o filme, e ele também não contou sobre o que era exatamente o roteiro do filme, se é que ele sabia. Ed Wood usava de muita improvisação, truques e artimanhas para conseguir realizar seus filmes, a sua vontade, dedicação, era um verdadeiro amor ao “fazer cinema” e para conseguir que um filme fique pronto ele abria mão de muitas coisas por ter muito pouco dinheiro, esse é um dos maiores motivos, creio eu, para Ed Wood ser tão cultuado, principalmente junto àqueles que fazem cinema com poucos recursos ou recursos próprios, ou os dois juntos.

Bela Lugosi, o famoso ator que interpretou Drácula no início do século 20, está no filme, mas ele morreu logo no início das filmagens,Plan9-BellaFootage1 para continuar com Bela Lugosi no filme, Ed Wood arrumou um dublê que usa uma capa e a todo momento ele cobre o rosto com a capa, é simplesmente ridículo ver isto na tela, mas, ao mesmo tempo é interessante que Ed Wood não tirou as poucas cenas que já havia feito com Bela Lugosi e improvisou, novamente, outro ator, se é que era um ator, para continuar com Bela Lugosi no filme, Além do Bela Lugosi, tinha alguns personagens interessantes, todos eles fazem mortos que ressuscitam, que é a Vampira, uma apresentadora de um programa na madrugada que só passava filmes de terror e tinha uma cintura realmente muito fina e outro ator é Tor Johnson, que é um cara totalmente gigante, que se não me engano, também era lutador de lutas livre e fazia umas caras horrendas no filme, aliás, uma das cenas que acho melhor no filme é quando ele começa a sair do túmulo.

Plano 9 do Espaço Sideral que tinha como nome no roteiro de “ladrões de cadáveres do espaço sideral” é um filme, no fim das contas, bastante divertido, com todos os erros visíveis durante o filme, ele acaba não sendo um filme cansativo. Gosto mais das histórias que envolvem o filme, do que do filme em si, é interessante ver como a persistência de uma pessoa pode leva-la a conseguir fazer o que deseja e que não usava nenhuma adversidade como desculpa para desistir.plan-nine-from-outer-photo Apesar de todas estas “falhas técnicas e artísticas”, tem outros filmes posteriores que me lembram o “jeitão” simples de “Plano 9” que é possível fazer filmes de ficção científica com poucos recursos, os filmes são “The American Astronaut” de Cory McAbee, “Pi” de Darren Aronofsky e “Alphaville” de Jean Luc Godard, se estes filmes se inspiraram ou não em “Plano 9” eu não sei, mas há um jeitão parecido no modo de produçãi, isso há.

Não considero Ed Wood um gênio do cinema, longe disso, mas que sua história com o cinema é encantadora, não há dúvidas. Divirta-se com “Plano 9” e seus outros filmes. Solobonite.

Trailer:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s