Monstruosidade!

O Hospedeiro (The Host) – 2006.

Dirigido por: Joon-Ho Bong.

Duração: 119 minutos.

O hospedeiro

Este é outro filme que demorei muito para assistir, quase assisti quando estava em cartaz no extinto cinema Belas Artes, que parece que irá reabrir, aliás. O Hospedeiro é um filme de horror com monstro feito na Coréia do Sul, terra do diretor Park Chan-Wook que fez a maravilhosa trilogia da vingança (Mr. Vingança, Old Boy e Lady Vingança).

A estória do filme gira em torno de Park Hee-Bong, um apático garçom que trabalha no quiosque do pai num parque na beira do lago Han na Coréia, entre suas trapalhadas em servir as mesas, ele se preocupa e do seu jeito tenta cuidar de sua filha, uma adolescente típica que costuma reclamar de tudo.

Em mais um dia apático onde Hee-Bong serve mesas, um monstro aparece no lago, sabemos, por uma cena no início do filme que ele foi criado por produtos radioativos jogados anos atrás por cientistas pelo ralo de uma pia, através de um ajudante coreano de um cientista americano que não está se importando com o resultado de jogar produtos radioativos velhos pelo ralo da pia. O monstro sai da água e começa a andar pelo parque, matando algumas pessoas, o pânico se instala e Hee-Bong ao perceber que o monstro está a solta procura por sua filha, só que o monstro acaba raptando sua filha, ele desaparece pelos canais de esgoto da cidade.thehost2

Depois de todo o caos, alguns militares aparecem e leva muitas pessoas para um local que parece uma quadra de escola, inclusive Hee-Bong e seu e onde há também um mural com fotos e lembrnças das vítimas, o resto da família de Hee-Bong aparece no ginásio, a irmã, que é uma atleta de alto nível de Arco e Flecha que havia acabado de perder a medalha de ouro em uma competição e o irmão que é um graduado arrogante. Os militares começam a recolher as pessoas que tiveram contato com o monstro e podem estar contaminadas, eles passam um tempo em um laboratório e depois conseguem fugir porque eles tem um sinal de que a menina está livre, então todos começam, cada um do seu jeito, a procurar onde pic4está a menina. A menina está no esgoto junto com alguns corpos e uma criança, o monstro parece estar caçando algumas pessoas e armazenando para comer em outro momento.

Uma das coisas que me chamaram muito a atenção no filme é o roteiro e principalmente como os personagens são muito bem construídos, o roteiro parte de um momento tranquilo de uma família atípica, no sentido tradicional de família, talvez uma família moderna na Coréia, eles chegam a se unir para caçar o monstro deixando as diferenças de lado para salvar a filha de Hee-Bong, podemos ver um pouco de Seul e também como é o dia-a-dia das pessoas em Seul, o que elas comem, como sentem e agem em situações extremas e também como funciona as táticas militares quando eles estão numa situação desconhecida, em que eles parecem ter mais atitudes violentas por causa de um medo do que na consciência de estar resolvendo o problema, ou seja, atirar e matar, perseguir as pessoas e plantar informações na mídia, talvez não seja o melhor modo de resolver a situação que estão vivendo.

Quanto aos personagens temos o personagem principal Hee-Bong, que é um homem que não parece dar muita importância com as coisas da vida, está sempre cochilando em serviço, fazendo sem se importar com os clientes, sua única preocupação parece ser com sua filha, o que mesmo ele não sendo muito ajustado socialmente pode dar uma relação de humanidade para o espectador, não que ele não seja humano por não ser como a “sociedade dita”. A filha de Hee-Bong, Hyun-Seo, é uma típica adolescente atual, apesar do filme já ter oito anos, quer aparelhos eletrônicos novos, tem vergonha do pai e quer estar com os amigos, a irmã é Nam-Joo, uma atleta profissional, que está chateada ou desanimada por ter ficado apenas com a medalha de prata numa recente competição internacional, uma mulher competitiva, o irmão Gang-Doo é um arquiteto ou algum tipo de engenheiro, que é bastante arrogante com o irmão, por achar que ele é O hospedeiro2um vadio, mas, ao mesmo tempo ele é um homem formado na faculdade que não tem emprego e vive irritado e o pai de Hee-Bong, é um comerciante que cuida dos filhos e da neta, um senhor que apenas quer fazer seu trabalho e tentar viver longe de problemas, viver tranquilamente. É claro que os personagens não são apresentados em sua totalidade de uma só vez, é um diálogo ou uma atitude que vai mostrando quem é quem.

O monstro é um personagem também, que é muito bem desenvolvido, tanto fisicamente, sua aparência, que parece ser em sua maior parte, ter sido feito por CG (computação gráfica), como ele é um monstro marinho, ele parece um lagarto gigante que nada, uma mistura de lagarto com golfinho, mais uma pitada de outras coisas marítimas que não conheço talvez, a pele do monstro é muito bem feita, parece estar sempre molhada quando ele está fora da água, tem aparência de peixe sem escama mesmo, os movimentos são muito convincentes e o monstro parece até ter uma personalidade, mesmo que no filme, ele pareça agir apenas por um instinto animal de sobrevivência, que é o de se alimentar através da caça, mas também de saber armazenar comida e de defender o seu território.

Porque este é um dos melhores filmes de monstro que já vi, e também foi considerado na época por muitos críticos, inclusive muito elogiado thehostem Cannes do ano de seu lançamento, ainda não conversei com algumas pessoas muito bem sobre esse filme, então não sei como ele foi recebido pelas pessoas, mas, as que me indicaram durante esses anos, falaram muito bem. O hospedeiro é um filme de monstro muito bom, não só por ter um dos monstros mais desenvolvidos de todos os tempos, mas, por ter um ótimo roteiro, ter sido bem filmado, ter ótimos personagens, uma direção impecável, um filme digno de prêmios e admiração por parte de fãs de filmes fantásticos que nem sempre tem um cuidado técnico e artístico tão apurado, já que na maioria das vezes as pessoas não tem consciência de como fazer ou por terem um orçamento que faz com que alguns realizadores tenha que improvisar muito e não conseguir o resultado esperado ou até mesmo não tenha noção de como fazer um bom roteiro ou como ser convincente com seus atores, mas, esse não é o caso d´O hospedeiro, o filme é perfeito, é brutal, tem sutilezas de mostrar uma estória de uma família, tem cenas de ação muito bem feitas, não há nada que faça com que o filme seja desvalorizado, só se você por ter um monstro no filme, algo que não é da sua realidade, te faça desacreditar no filme, mas, se você deixa sua mente livre, se você gosta de imaginar e fantasiar estórias, este é um ótimo filme, até porque, se você admitir que possa existir um monstro como esse, o filme é bem realista. Espero poder assistir em breve outros filmes do Joon-Ho Bong ou Bong Joon-Ho. Este é realmente uma monstruosidade!

Curiosidades.

– Joon-Ho Bong fez um episódio do filme Tokyo! Que tem também os diretores Michel Gondry e Leos Carax, ambos já resenhados aqui no blog com os filmes “Rebobine, Por Favor” e “Pola X” respectivamente.

– Joon-Ho Bong dirigiu um ótimo thriller, chamado “Memórias de um Assassino” que se não me engano inspirou o David Fyncher (Clube da Luta, Zodíaco e etc) à fazer o filme “Seven”. Já vi esse filme rodando por lojas como Americanas.

– Tarantino já declarou que seu próximo filme, que será sobre um serial killer será influenciado nos filmes de Joon-Ho Bong.

Trailer.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s