ÁRIDO MOVIE

Árido Movie (Nacional)

Dirigido por: Lírio Ferreira

Duração: 118 minutos

 

            Nunca havia assistido ao Árido Movie por preconceito com o titulo do filme, achava que seria um filme só com imagens do nordeste, meio parecido com Vidas Secas, não que seja ruim, mas é um filme muito cansativo. Resolvi assistir Árido Movie recentemente, não sei ao certo o que me motivou, e fiquei impressionado com a qualidade do filme.

Um jornalista, Jonas, na verdade o homem do tempo de um grande canal de televisão de São Paulo, terá que voltar para sua casa numa pequena cidade do interior do Nordeste, para enterrar o seu pai, que foi assassinado numa confusão entre índios e grandes proprietários de terra.

Enquanto está na capital, Jonas fica com sua mãe e encontra também alguns amigos, estes amigos querem acompanhar Jonas até lá. Ele não quer companhia, então no dia seguinte pela manhã ele pega um ônibus e segue o seu caminho. Em uma das paradas, conhece uma moça, Soledad, que está fazendo um documentário sobre a água no nordeste e acaba pegando carona com ela.

Os amigos de Jonas, seguem atrás dele, os três jovens, dois homens e uma mulher, são burgueses da cidade grande, que não tem nada para fazer, a não ser beber, fumar maconha e sair azarando por aí.

            Quando chega em sua cidade Jonas, encontra com um índio, Zé elétrico, que tem uma oficina mecânica e um bar/restaurante na beira da estrada. Jonas, vai até o centro da cidade para enterrar seu pai e sua avó diz que ele tem que vingar a morte do seu pai, um dos seus tios ou primos, lhe entrega uma arma, com a qual Jonas terá que matar aquele que matou o seu pai, ele não quer participar de toda esta estória, que é a eterna briga entre aqueles que habitavam todas as terras do Brasil e aqueles que vieram com a “tecnologia” e conquistaram as terras para explorá-las.

Soledad em conversa com Zé elétrico parte em busca de um senhor chamado Meu Velho, uma espécie de líder religioso que consegue água para a pequena cidade. Os amigos de Jonas, partem em busca de uma grande plantação de maconha e acabam sendo encurralados pelos donos da plantação. Jonas acompanha Zé elétrico em uma caminhada pelo agreste de Pernambuco, onde ele toma um chá alucinógeno e entre filosofia de Zé elétrico e alucinações, ele retorna ao lugar onde chegou.

Diversos assuntos são bordados em Árido Movie. Um deles é a volta de um jovem que se deu bem no sudeste à cidade onde nasceu, no interior de Pernambuco e também a cidade onde cresceu que é Recife, alem de voltar para enterrar o seu pai, ele também retorna para conhecer suas origens, que até então ele não conhecia.

A questão dos jovens, os amigos do Jonas, que só pensam em diversão, eles somente querem beber, se drogar, festejar e zoar pelo mundo, é um reflexo muito grande da juventude burguesa/classe media do Brasil, que na teoria são aqueles que mais tem oportunidades para pensar e discutir melhoras para o pais, enquanto outros jovens da periferia são pegos grupos religiosos ou pela criminalidade, é triste ver “o futuro da nação”, largada ao ostracismo, apatia e sentimentos ligados a TFP (trabalho, família, proteção).

A distribuição de água no nordeste é um tema discutido, mas que não traz no filme, uma conclusão, ou um ponto de vista, é um pequeno documentário dentro do filme. Mostrando os diversos modos de se conseguir água no sertão e também que há muitos modos de acabar com a seca no nordeste.

O coronelismo também aparece no filme, o família do pai de Jonas são os grandes proprietários de terras nas redondezas, mas eles não tem mais o mesmo poder que anos atrás, porque o algodão, já não é tão valioso, agora eles tem plantações de maconha e junto com os governadores locais querem conquistar mais terras e expulsar os índios da região.

A parte mística/religiosa do filme fica por conta do índio Zé elétrico que usa maconha e outras substâncias alucinógenas no filme e através das “viagens” causadas pela droga. E também Meu velho que é uma espécie de Jesus do interior de Pernambuco, tendo muitos seguidores, pregando suas idéias e mostrando o caminho para algumas pessoas.

Árido movie é um filme com belíssimas imagens do sertão nordestino, há locações incríveis durante todo o filme. E é um filme para pensar nos diversos assuntos que são abordados em quase duas horas de filme. E confesso que o final do filme é um dos mais surpreendentes do cinema nacional, uma mistura de Lynch com Bergman. O elenco tem grandes atores, como é o caso do Peréio, que é o pai de Jonas e do Zé Celso como o Meu velho, também fiquei impressionado com atuações do Guilherme Weber que faz o Jonas e da Giulia Gam interpretando a Soledad, atores conhecidos de novelas, pelo menos de uns cinco anos atrás, também tem figuras carimbadas do cinema nacional como Matheus Nachtergale e Selton Mello, em papéis menores, mas não menos importantes, também com a presença de atores desconhecidos, como a índia, que inclusive está na capa do filme, da senhora que faz a avó de Jonas e do rapaz que mata o pai de Jonas, todo o elenco está incrível no filme.Um filme nacional que deveria ser assistido por qualquer brasileiro, seja ele fã de cinema, novela, história ou política. Um filme para sentir e depois, refletir e discutir.

Anúncios

Um comentário sobre “ÁRIDO MOVIE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s