À PROCURA DE ELLY

À procura de Elly (Darbareye Elly)
Dirigido por: Asghar Farhadi
Duração: 119 minutos.

Este é um filme Iraniano, que fui ver com certo receio, mas, tentando fugir dos filmes que provavelmente entrem em cartaz no circuito comercial, achei que deveria arriscar.
A estória se passa no Irã. Um grupo de amigos, a maioria casados e alguns até com filhos. Apenas um casal sequer é de namorados. Eles estão indo a uma viagem ao interior, passarem um final de semana relaxando e se divertindo, fugindo de suas rotinas habituais.
Logo quando chegam a casa onde deveriam apenas pegar uma chave do local onde ficariam, acontecem divergências, que levam a um stress. Eles acabam indo para uma velha e abanonada casa, que está com os vidros destruídos e toda suja. É uma casa á beira do mar, limpam a casa e começam a se divertir, cantando, dançando, e fazendo algumas brincadeira, o que parece ser bem típico deste povo. O diretor neste momento consegue passar muito bem a sensação de tranqüilidade e diversão. Todos os casados ficam empurrando os dois solteiros a todo momento, chegando a contrangê-los.
No dia apos a chegada deles, todos estão tranqüilos, uns se divertem jogando vôlei, outros com as crianças que brincam na praia. A mulher solteira, Elly, diz que precisa ir embora, sua amiga diz para que ela fique mais e não deixe que ela vá embora. Elly muito contrariada acaba ficando e vai à praia cuidar das crianças, uma brinca no mar, outra na areia e outra tenta empinar uma pipa. Elly começa a se divertir enquanto faz a pipa voar, até que diz que é hora dela ir embora.
Uma das crianças vem chamar o pai porque a criança que estava na água está se afogando, neste momento começa uma tensão absurda, a câmera no ombro ajuda a intensificar em muito a tensão, eles não conseguem encontrar a criança, até que um dos homens encontra e a leva para a areia para a respiração boca-a-boca. Depois de um breve momento de tranqüilidade, perguntam-se onde está Elly, ela que devia estar olhando as crianças, começam a procurá-la no mar, volta a tensa situação de procurar alguém no mar nervoso e turvo, mesmo com a busca das autoridades, nenhum corpo é encontrado.
Agora surte a dúvida se ela realmente se afogou ou simplesmente foi embora, sem se despedir, a todo momento temos indícios que ela foi embora, paradoxalmente com indícios de que ela se afogou, a angustia e a tensão vão se intensificando, junto com discussões e brigas entre as pessoas da casa que tentam resolver o mistério do sumiço de Elly. Nenhuma dúvida tanto dos personagens, quanto dos espectadores são sanadas. A tensão fica até o termino do filme, com várias situações explicando e confundindo a resolução da estória, mesmo depois de terminado o filme continua a sensação de angustia, causada pelas mais de uma hora de suspense pertubadoramente angustiante.
Mesmo com toda a tensão inserida no filme, tem um bom ritmo, o clima criado é magnífico no sentido de, volto à frisar, uma tensão perturbadora e totalmente angustiante, a ponto de desejar que o filme acabasse logo. Vale a pena ver um filme Iraniano que em nenhum momento bate na tecla do terrorismo ou de política. Um filme que em países não-desenvolvidos também podem ter uma boa estória, ainda estou à procura de Elly em minha mente.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s