BOISE MOI

Foda-me (Baise-moi).
Dirigido por: Virginie Despentes e Coralie Trinh Tih.
Duração: 72 minutos.

Baise-moi, que em português ganhou dois títulos diferentes, Foda-me e Estupre-me, não sei se o filme chegou a ter uma versão oficial nacional.
Uma ex-atriz pornô, Manu, que agora vive pedindo dinheiro emprestado para o irmão, está cansada da vida de sexo e dos homens. Até o momento em que ela resolve largar sua vida e tentar, através de modos não convencionais, fazer o que deseja. Nadine, uma prostituta, também esta cansada de sua vida, briga com a colega de quarto e seu melhor amigo lhe deixa. As duas por acaso do destino, acabam se encontrando e sai em um roadie movie em busca de realizar seus desejos.
Para conseguirem dinheiro para a aventura, elas usam da violência e de golpes, grandes e pequenos. Entre um assalto a mão armada e a transa com jovens em quartos de motel, elas conversam e se divertem. A diversão delas não é muito comum, atiram sem um motivo aparente. A violência neste filme é bem acentuada, desde cenas de estupro, até tiros e espancamento.
Imaginem duas mulheres revoltadas com os homens e até mesmo com o modo que encaramos o sexo. Elas estão em fúria, querem se divertir, querem prazer, mas também querem matar e deixar um rastro de sangue por onde passam, na jornada, matam que tentar atrapalha-las, desde vendedores, policiais, amantes e transeuntes.

Um grande golpe é armado, elas conseguem obter sucesso em suas empreitadas, a policia não é tão inteligente, ninguém imagina quem elas são. O próximo passo delas é sempre inesperado, não há um padrão, não há planejamento, na verdade parecem duas “porra-loucas” que querem curtir a vida, deixar de viver nos padrões sociais, alguns podem julgá-las de loucas, desreguladas. Talvez a violência que sofreram, julgo o ato delas, a revolta é tão grande que se voltar contra a sociedade chega a ser um ato natural. Duas anti-heroinas atrás de um sentido para suas vidas. Uma versão junkie e violenta de Thelma e Louise.
Não é um grande roteiro, mesmo tendo um dos finais mais interessantes que vi ultimamente, a violência as vezes passa a ser exagerada, as cenas de sexo explicito também são um pouco forçadas, acredito que não precisariam. Só que a carga emocional e todo o questionamento dos modos tradicionais que temos que aceitar para poder viver em sociedade, vale perder pouco mais de uma hora neste filme.
Anúncios

Um comentário sobre “BOISE MOI

  1. Pingback: Sala Especial» Blog Archive » Baise Moi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s