EL TOPO

EL TOPO (Idem).
Dirigido por: Alejandro Jodorowsky.
Duração: 125 minutos.

El topo é um dos filmes mais surreais que eu já pude assistir, para quem pensa que Buñuel é surreal e confuso é porque ainda não conhece Jodorowsky.
Tudo com um pistoleiro e seu filho, que está pelado, andando de cavalo pelo deserto, até que ele encontra um local ideal para que seu filho enterre um brinquedo, esta é a passagem para que ele começa a se tornar um homem.
Topo vai até um local onde coisas estranhas acontecem, ele ajuda um grupo a derrotar um general que abusa das pessoas de uma cidade e deixa seu filho para que ele aprenda como viver sozinho, mesmo triste seu filho acaba ficando.
Seguindo o seu destino Topo encontra três pistoleiros eles duelam e Topo mostra que é quase o pistoleiro mais rápido. Mas não é o suficiente para ser o melhor, para ser o melhor será preciso ele enfrentar três mestres do deserto que são praticamente deuses.
Ele encontra uma mulher que resolve ser sua Maria Madalena e o segue pela sua jornada, ainda encontra outra mulher, uma pistoleira que quer ajudar Topo a derrotar os três mestres do deserto. Topo segue lutando contra os três mestres mesmo tendo dificuldades ele acaba conseguindo e é traído por sua mulher.
Topo acaba sendo achado por um grupo de aleijados que vivem escondidos em uma montanha, ele é tratado pelo grupo, depois de algum tempo Topo está recuperado e é outro, agora ele é praticamente um messias para os aleijados, ele resolve que então vai ajuda-las a sair mais facilmente da montanha, construindo um túnel.
Novamente uma mulher, desta vez uma anã é a companheira de Topo nesta jornada, eles seguem por alguns dias até chegar no alto da montanha e descem até um pequeno vilarejo onde vão conseguindo viver com um número de circo.
Com o que eles vão ganhando vão comprando pás, madeiras e cordas para construírem o túnel, eles passam por muitas situações difíceis, demonstrando até como transam em meio a um grupo de políticos safados.
Nesta pequena vila acontecem coisas totalmente estranhas, como um boxe entre duas pessoas que tem arames no lugar das luvas e vence aquele que matar o outro, uma igreja que promete milagres com uma arma descarregada e outras situações de uma sociedade hipócrita.
O filho de Topo reencontra o pai, mas o pai está muito mudado, mesmo assim o filho dele quer um duelo para se vingar do abandono. Topo diz que só lutará após cumprir a promessa de libertar os aleijados. Então o filho de Topo o ajuda a construir o túnel.
Depois de muito tempo eles conseguem que o túnel fique pronto, os aleijados resolvem sair rapidamente e irem para a vila, Topo os avisa que ainda é cedo para a sociedade os aceitarem, sem ouvir eles seguem e são recepcionados com uma avalanche de tiros, as pessoas não querem monstros em sua vila.
Topo decepcionado com tudo aquilo vai com sua esposa para outro lugar.
El Topo é o segundo filme de Jodorowsky, o pistoleiro messias é uma personagem maravilhosa, este filme tem vários estilos que serão usados nos outros filmes de Jodorowsky, como os aleijados e anões, sangue e violência, o sangue é feito com melancia e as críticas sociais embutidas em suas passagens surreais e tensas. Cenas engraçadas que trazem um pouco de alegria em meio a todo caos e também uma crítica as religiões, já que o messias falha em sua missão, que era libertar os aleijados e não mata-los. Imperdível.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s