HOLOCAUSTO CANIBAL

Holocausto Canibal (Cannibal Holocaust)
Direção: Ruggero Deodato
Duração: 97 minutos

Resolvi falar deste filme, porque ele é um dos melhores e mais conhecidos filmes de canibalismo e cenas gore totalmente explícitas.
Um programa de televisão anuncia o desaparecimento de um grupo de documentaristas que estavam na floresta amazônica fazendo um filme sobre indígenas canibais, é assim que se inicia o filme, mostrando o modo como à televisão abusa das imagens e de situações para ganhar audiência.
O antropólogo Dr. Harold Monroe que conhecia o insano Alan Yates, diretor do grupo de documentaristas, é incumbido de procurar e saber o que aconteceu com a trupe de Yates, ele viaja até a floresta que é chamada de “inferno verde”.
Juntando-se aos caçadores/guias Chacko Losojos que conhece o local e sabe como enfrentar e se relacionar com os indígenas e Miguel Lujan que além de conhecer o “inferno verde” sabe falar a língua dos indígenas, eles então partem para tentar encontrar rastros de Yates e companhia.
No caminho encontram os restos mortais do guia que estava com Yates, ele que era um dos melhores, Dr. Monroe passa mal ao ver o cadáver, e Chacko diz que eles estão no caminho certo e seguem, até que encontram um grupo de índios e capturam um, para usá-lo, ele é um índio canibal.
Numa das cenas mais chocantes do filme, Dr. Monroe e companhia ficam olhando um índio pegar uma mulher e fazer um ritual violento, com agressões físicas e estupro, depois ele empala a mulher, eles não podem fazer nada, pois não querem ser descobertos e perderem toda a chance de encontrar o que procuram.
Eles enfim chegam a uma das tribos por onde passaram os documentaristas, Dr. Monroe reconhece objetos dos documentaristas com os índios, eles fazem umas trocas e seguem até que conseguem encontrar outra tribo que vive numa árvore, eles encontram os filmes que Yates havia gravado, mas tem que fazer com que a tribo dê o material para eles, numa cena das em que se pode ver como os índios faziam trocas, eles deram os filmes em troca de um gravador de voz, o interessante nesta cena é todo o modo como o “povo civilizado” usava da tecnologia para “enganar” os índios.
Já de volta aos EUA o Dr. Monroe começa a assistir aos vídeos que Yates gravou e vê cada vez mais cenas perturbadoras, violentas e as chamadas gore. Vemo-los saindo de um cais, depois eles se preparando para entrar na floresta e toda a insanidade de Yates e companhia que quando passam por uma das tribos, batem nos índios, atiram nos animais, e ateiam fogo numa cabana com todos da tribo dentro apenas por pura diversão e tudo isso seria para o documentário deles.
Depois de destruírem a tribo eles seguem a procura dos índios canibais, eles vêm umas índias enterrando uma criança recém nascida na beira de um rio, porque os índios não aceitam crianças com nenhum tipo de defeito físico, matam um cágado e abre ele tudo isso sendo filmado, é nesta cena que eles perdem o guia, que foi picado por uma cobra, depois de tudo isso, eles encontram outro grupo de índios e conseguem capturar uma índia que é estuprada por todos, menos por Faye Daniels que ficam gritando e batendo nos rapazes que estão cometendo aquela barbaridade com a índia.
Dr. Monroe conversa com os produtores de um programa e diz que as vidas não devem ir ao ar, mas mesmo assim os produtores insistem em passar, Dr. Monroe sugere que eles assistam ao filme inteiro antes de ir ao ar.
Com todas as situações anteriores parece que foi jogada uma praga em cima dos documentaristas, pois a partir de um dado momento, eles são cercados por uma tribo canibal que vai pegando um por um até matar todos, eles não têm dó, matam com pedradas até a morte, e depois vão ralando até que os membros se soltem, eles estupram Faye antes de matá-la como se fosse uma vingança, porque eles estupraram a índia.
Os produtores que passam mal com aquelas imagens brutalissimas cancelam a veiculação do documentário na TV e ainda mandam queimar o material.
Este não é um filme apenas com sangue e imagens de extrema violência, pode-se ver muito mais num belo filme como esse que tem um roteiro impecável, direção e edição muito boas e efeitos de maquiagem que enganariam qualquer um, inclusive tiveram que provar que os atores estavam vivos, tamanha a realidade das mortes, por algum tempo rondou a lenda que era um filme snuff (onde a morte real dos atores), para quem gosta de filmes violentos e sangrentos como Jogos Mortais, pode passar mal com este aqui. Para quem gosta de antropologia também é um prato cheio, já que a relação dos índios com o “povo civilizado” é mostrada a todo o momento e pode-se conhecer um pouco mais dos índios que se alimentavam de humanos.
Se você passa mal com cenas violentas, tem problemas ao ver sangue, não assista a esse filme, agora para os fãs de gore, antropologia é um ótimo prato a se comer frio.
Bom, provavelmente da próxima vez eu fale do filme Senhores do Crime, o novo filme de David Cronnenberg.
Ah! Caso queiram respostas em seus comentários, favor deixar e-mail, caso não tenha profile no blogspot, ok?
Um feliz natal a todos!
Anúncios

3 comentários sobre “HOLOCAUSTO CANIBAL

  1. Pingback: Os números de 2010!!!! « MENTE INSANA cineblog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s