VIOLÊNCIA GRATUITA

Violência Gratuita (Funny Games)
Dirigido por: Michael Haneke
Duração: 103min


A feliz família Schober está indo para a sua casa de campo, para umas semanas de férias, na viagem foi tudo bem.
Enquanto Georg (Ulrich Mühe), junto com seu filho “jorginho” (Stepan Clapczynski) montam o barco, Anna (Susanne Lothar) esposa de Georg está preparanda filés para o jantar, quando um “vizinho”, Peter “Balofo” (Frank Giering) chega e lhe pede ovos emprestados, ela empresta, mas ele os derruba, ele pede desculpas e não quer voltar sem os ovos, ela dá mais a ele e o cachorro pula nele, que volta com seu irmão Paul (Arno Frisch), ele estão assustados com o cachorro e a Sra. Schober está perturbada com a presença dos seus “vizinhos”.
Paul pede para experimentar os tacos de golfe do Sr. Schober, sua esposa diz que não há problemas e ele vai fora da casa testar o taco e calar o insuportável cachorro que não para de latir.
Anna fica nervosa e bem para os irmãos irem embora, mas não vão facilmente, eles querem saber o motivo da irritação de Anna, Georg chega e quer saber o que está acontecendo, por que Paul e Peter estão ali e porque Anna está tão perturbada, Paul lhe explica sobre a situação dos ovos, Georg pede para eles irem embora, com as constantes questões de Paul, eles deixam Georg nervoso que dá um tapa na cara de Paul, que lhe revida com uma “tacada” em sua perna, machucando-a muito.
“Jorginho” e Anna ficam assustados mandam os irmãos embora, mas eles não vão, eles querem jogar um jogo.
Primeiro Anna tem que descobrir o que aconteceu com o cachorro e onde ele está, na cena em que Anna está procurando o cachorro, Paul fala diretamente para a câmera questionando o espectador.
Paul e Peter leva a Família para a sala, onde eles acham melhor para continuar com seus jogos, o próximo passo e advinhar a idade e se Anna tem “pelancas”, colocam a cabeça de “Jorginho” num saco e fazem Anna se despir, “Jorginho” foge, Paul vai atrás dele. Não vou contar mais sobre o filme para não estragar o suspense final, mas ainda há metade do filme para ser visto, mas o quebra-cabeças vai ser completado desta metade pra frente e eu não quero colocar mais nenhuma peça.
Este filme de Haneke, mostra que o cinema apesar de já ter usado muita técnica, tanto de filmagem e roteiro, não tem limites, a fotografia lembra muito os filmes do movimento “Dogma 95”, se a câmera fosse no ombro, com certeza seria um deles, a relação de Paul com o espectador é muito boa também, ele sempre olha para a câmera para manter um diálogo com o espectador, falando como os filmes devem ser e o que o espectador gosta de ver, transformando o espectador num rotulável ser que gosta de ver as desgraças dos outros em todos os detalhes, os diálogos finais também dão uma boa mostra das idéias de Haneke, que coloca uma visão paralela a história principal do filme com maestria, sem suar chato e pretensioso.
Este é um filme Austríaco de 1997 e Hollywood está fazendo um remake, pelo que já foi revelado as cenas serão as mesmas, mudará principalmente as atuações, no elenco terá a linda Naomi Watts, mas vale muito a pena assistir o original, porque as atuações e direção são primorosas.
Provavelmente o próximo filme a estar aqui será o “Exploitation” Holocausto Canibal (Cannibal Holocaust), para os fãs de Gore e filmes B.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s